top of page
Buscar

Trabalhadores da Cultura impulsionam a economia criativa e contribuem para a diversidade cultural do país.

Sabia que o vendedor de pipoca é um profissional da cultura? Existem diversos

trabalhadores essenciais para a criação e experiência artística e cultural, alguns menos óbvios. Por exemplo, as baianas do acarajé, os iluminadores, as costureiras e até arquivistas.

No Brasil, o dia 4 de maio adquiriu um significado especial no ano passado com a instituição do Dia Nacional de Luta dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Cultura (Lei 14.618/23). Essa data foi escolhida em homenagem ao compositor e artista Aldir Blanc e ao ator e comediante Paulo Gustavo, ambos vítimas da covid-19, exemplares defensores do trabalho no setor cultural e que agora emprestam seus nomes a duas importantes leis e políticas do Ministério da Cultura.


Outra data significativa instituída pela Lei 14.517/23 é o Dia Nacional dos Trabalhadores em Entidades Culturais, Recreativas e Conexas, celebrado na segunda segunda-feira de maio de cada ano.

Essas datas não apenas são momentos de celebração, mas também de reflexão sobre a relevância e o reconhecimento de profissionais frequentemente não associados à cena cultural ou a profissões convencionais, como explicou Deryk Santana, diretor de Políticas para os Trabalhadores da Cultura do Ministério da Cultura (MinC).


Dados divulgados pelo Itaú Cultural em 2023 mostram que a Economia da Cultura e das Indústrias Criativas é responsável por 3,11% do Produto Interno Bruto nacional, e emprega cerca de 7,5 milhões de pessoas nas mais de 130 mil empresas formalizadas. O Mercado das Indústrias Criativas, que teve sua última edição realizada no ano passado em Belém, é parte central da política pública do MinC e um catalisador da circulação de bens e serviços culturais.


Responsáveis por uma das mais conhecidas tradições dos cinemas, teatros, circos e eventos culturais, os pipoqueiros oferecem mais do que um petisco, eles também contribuem para a atmosfera única desses espaços.

 

Na rica tapeçaria da cultura brasileira, muitos elementos são emblemáticos: um deles é o acarajé. Por trás dessa iguaria está uma figura central, a baiana. Mais do que vendedoras de comida de rua, elas são guardiãs da cultura e da tradição, não apenas na Bahia, mas em todo o país.


Por trás dos palcos

Verdadeiros magos da luz e do som, os iluminadores e técnicos de som criam ambientes que complementam e realçam as performances artísticas. Seja em um concerto, uma peça de teatro, uma apresentação de dança ou um filme, o trabalho desses profissionais é fundamental para a transmissão da mensagem artística e a criação de atmosferas envolventes.



Os trabalhadores do Sistema MinC – que engloba o Ministério e também todas as autarquias vinculadas a ele - também se mostraram trabalhadores incansáveis e se mostraram fundamentais na retomada da Pasta após o desmonte vivenciado nos últimos anos. São funcionários de carreira, terceirizados e consultores atuando em diferentes áreas para assegurar os melhores rumos das políticas públicas em cultura do país.


Sobre as datas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei Nº 14.517, de 4 de janeiro de 2023, que instituiu o Dia Nacional dos Trabalhadores em Entidades Culturais, Recreativas e Conexas, a ser comemorado na segunda segunda-feira do mês de maio de cada ano. Neste ano será comemorado no dia 13 de maio. A proposição é derivada de uma sugestão feita à Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Culturais e Recreativas no Estado de Minas Gerais.

No mesmo ano, em julho, o presidente instituiu o 4 de maio como o Dia Nacional de Luta dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Cultura. Por meio da Lei Nº 14.618, de 11 de julho de 2023, a data foi criada para homenagear aqueles que dedicam suas vidas à promoção e à preservação da cultura brasileira.


Fonte: Portal do MINC

15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page